Não corra riscos! Saiba como formar uma reserva de emergência para imprevistos

 em Planejamento e Finanças

Saiba a importância de ter uma reserva de emergência e saiba como preparar a sua!

Por mais organizado que seja o seu planejamento financeiro, é importante ter consciência de que os gastos extras sempre aparecem em determinados momentos da nossa vida. Uma falha mecânica do seu carro, manutenção da casa, problemas de saúde na família… Diversos fatores que o levam a despender de uma quantia considerável quando menos se espera.

A principal característica dessas despesas é justamente a urgência: você precisa do dinheiro rápido e não há muito como protelar. Uma das regras básicas do bom senso financeiro diz que devemos ter uma reserva de emergência para gastos e despesas imprevistas. Ela pode ser a sua melhor solução frente a um problema e uma boa maneira de construir um patrimônio financeiro!

Nesse artigo, explicaremos a você a importância de montar uma reserva de emergência e também como você pode começar. Continue lendo:

Por que ter uma reserva de emergência?

Embora se saiba que é importante ter uma reserva financeira para momentos de emergência, apenas uma pequena parte das pessoas segue a sugestão. Os educadores financeiros orientam que se deve guardar o montante equivalente a pelo menos 6 meses de despesas mensais para utilizar quando estiverem passando por um período de dificuldade financeira.

A grande maioria acaba comprometendo toda a renda ou gastando o que resta com objetos de satisfação pessoal e imediata. É muito comum que o brasileiro pense que recorrer aos bancos e assumir dívidas é um comportamento normal e esperado. E é exatamente por isso que os bancos brasileiros estão entre os mais rentáveis do mundo.

Recorrer ao uso do cartão de crédito, cheque especial ou empréstimos consignados pode deixar você em dívida por muito tempo. A reserva de emergência é a melhor opção para não entrar em dívidas e ainda ter uma segurança financeira maior.

Quanto guardar?

O aconselhável é que a sua reserva de emergência consiga cobrir e manter o seu padrão de vida por aproximadamente 6 a 12 meses. Então se, por exemplo, você tiver uma despesa mensal de R$ 2 mil reais por mês, o ideal é que sua reserva de seis meses seja de R$ 12 mil reais. No mais otimista dos casos, o legal é que você consiga juntar R$ 24 mil.

Pode ser que você demore um pouco mais para juntar essa quantia, mas o valor total será maior do que uma reserva construída com base nas suas despesas

Como montar a reserva de emergência

Coloque as contas em dia

Se você deseja começar a acumular dinheiro, o primeiro passo é colocar as contas em dia. Não pense em guardar dinheiro se você está gastando mais do que ganha e se não sabe exatamente quais são suas receitas e despesas. Faça o possível para se livrar primeiro de dívidas mais altas, como juros rotativos do cartão de crédito e cheque especial.

Faça o cálculo

Para calcular as suas despesas, faça uma soma dos gastos fixos e variáveis que você tem todos os meses. Aí entram aluguel, condomínio, luz, água, telefone, internet e outros. Também inclua uma média das despesas variáveis, como alimentação, farmácia, transporte e cartão de crédito. Depois verifique onde você gasta mais e defina aquilo que pode ser eliminado.

Regra dos 50-15-35

A partir deste terceiro ponto, você pode voltar a assumir o controle de suas finanças, estabelecendo metas para cada uma das suas despesas. Tente colocar em prática a regra dos 50-15-35, onde divide-se a renda em 3 grandes grupos:

  • Gastos essenciais: aqueles necessários para a sua manutenção no dia a dia, como alimentação, moradia, transporte, saúde e educação; Metade da sua renda (50%) deve ser destinada a eles;
  • Prioridades financeiras: se você têm dívidas, a principal prioridade deve ser quitá-las. Se não, poupar para construir sua reserva para emergências. Se você já tem uma reserva financeira, poupe para outros objetivos; 15% da sua renda deve ser reservada a elas;
  • Qualidade de vida: estes gastos não são imprescindíveis, mas permitem que você aproveite mais a vida; 35% da renda deve ser direcionada para isso.

E aí, você já tem uma reserva de emergência? Está pensando em começar uma? Comente e participe para que possamos melhorar, cada vez mais, os conteúdos do Abertura Simples.

Postagens Recentes

Deixe uma resposta

foto de uma mulher colocando dinheiro em um cofrinho, representando o investimento do fgts