Em quais casos a consultoria jurídica é necessária para cálculo do FGTS?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço é um dos mais importantes benefícios do trabalhador brasileiro, correspondendo ao valor acumulado ao longo do tempo de serviço. Em caso de aposentadoria ou demissão sem justa causa o trabalhador pode sacar esse dinheiro e ao longo de sua atividade também pode utilizá-lo para financiamentos, por exemplo. O problema é que muitas vezes ele não é calculado corretamente e nem sempre o trabalhador sabe disso. Assim, veja em quais casos a consultoria jurídica é necessária para cálculo do FGTS.

DESCUBRA EM QUAIS CASOS A CONSULTÓRIA JURÍDICA AJUDARÁ NO CÁLCULO DO FGTS!

Trabalhadores que encontram problemas com o empregador

O pagamento de FGTS é de responsabilidade do empregador, que deve fazer aportes mensais junto ao salário. O que pode acontecer nesses casos, entretanto, é que o empregador simplesmente não paga o FGTS, deixando o funcionário desassistido no futuro quando ele passa a ter direito a receber o benefício.

Por isso, trabalhadores que encontrem irregularidades no valor de seu FGTS ou que tenham dificuldades ou problemas com o empregador podem consultar uma assessoria jurídica para que o cálculo do FGTS seja feito adequadamente e até mesmo para que medidas cabíveis possam ser tomadas em relação ao empregador.

Trabalhadores que tenham direito à revisão de FGTS

Desde 1999, o FGTS vem usando a TR – taxa referencial que também é utilizada para calcular os ganhos da poupança. O problema, entretanto, é que a TR, além de não refletir o valor real de correção monetária, foi diminuída até chegar a zero em 2013. Com isso, quem trabalhou com carteira assinada desde 1999 pode estar com seu benefício defasado em até 80%.

No mais recente entendimento do Supremo Tribunal Federal, essa atitude é inconstitucional porque a TR não corresponde a uma correção monetária real, violando a lei do FGTS. Quem trabalhou a partir de 1999 pode contar com uma assessoria jurídica para uma revisão do cálculo do FGTS e dessa maneira o benefício é revisto e o valor, aumentado.

Quem já usou o benefício do FGTS

Embora seja um caso ligeiramente mais complexo, quem já usou o benefício do FGTS após ter trabalhado a partir de 1999 também pode contar com uma assessoria jurídica para o cálculo e revisão do benefício.

Como existe uma defasagem no valor, ainda que ele já tenha sido usado, a assessoria poderá realizar o cálculo correto e possivelmente ingressar com uma ação, permitindo que o trabalhador receba o valor devido e faltante em relação ao montante inicialmente recebido.

Trabalhadores demitidos sem justa causa

Trabalhadores demitidos sem justa causa passam a ter o direito de usar o benefício do FGTS, como sacar o valor. Antes de usar o valor, entretanto, é altamente recomendável contratar uma assessoria jurídica para que seja feito um cálculo do FGTS.

A assessoria irá conferir se o empregador fez todos os pagamentos corretamente e também irá fazer a revisão do valor de acordo com a correção monetária, permitindo que o trabalhador receba por aquilo que efetivamente trabalhou.

Aposentados também podem rever o cálculo do FGTS

A aposentadoria configura outro caso em que o FGTS passa a poder ser sacado pelo trabalhador. Para evitar perder valores importantes no benefício contratar uma assessoria jurídica é benéfico já que o time de profissionais irá garantir que o valor corresponda à realidade.

Contratar a assessoria jurídica nesse momento, inclusive, é necessário para ter uma aposentadoria mais segura já que grandes são as chances de que o valor real seja maior do que aquele que pode ser sacado.

A consultoria jurídica é necessária para o cálculo do FGTS basicamente em casos de revisão do benefício, antes ou após ser utilizado, e também em casos de problemas com o empregador, de demissão sem justa causa e de aposentadoria. Assim, o trabalhador garante que seu benefício será recebido corretamente e em sua totalidade.


Não sabe se seu caso é elegível para uma consultoria jurídica? Ainda tem dúvidas? Então não deixe de comentar e participar! Ajude a melhorar, cada vez mais, os conteúdos do Abertura Simples.

Escrito por

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Manual para Abrir Empresa

Faça como mais de 40 mil empreendedores. Baixe agora mesmo o Manual Completo Para Começar Seu Próprio Negócio.

No comment yet, add your voice below!


Faça um Comentário