Skip to content

Conta de luz mais barata até o fim do ano

No dia 11 de abril, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) afirmou que a bandeira sem tarifa deve permanecer por um bom tempo, pois não são esperadas novas mudanças até o final de 2022, portanto, é muito provável que não voltará a ter cobrança de tarifas esse ano. Ou seja, redução do valor da conta de luz.

“Essa é a expectativa”, afirmou Luiz Carlos Ciocchi, diretor-geral do ONS, órgão que coordena e controla as operações de geração e transmissão de energia elétrica do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Bandeiras tarifárias na conta de luz

O sistema de bandeiras tarifárias é o que estabelece o custo da energia. Quando a geração de energia não é o suficiente, é necessário usar as usinas termelétricas, o que eleva os custos. Dessa forma, as cobranças adicionais têm o intuito de compensar essa diferença e ajudam a frear o consumo.

A bandeira diz respeito aos valores da cobrança adicional na conta luz:

  • Bandeira Verde – Condições favoráveis de geração de energia – sem cobrança adicional;
  • Bandeira Amarela – Condições menos favoráveis – R$ 1,874 por 100 kWh consumidos;
  • Bandeira Vermelha – Térmicas ligadas – dois patamares, sendo: um de R$ 3,971 e outro R$ 9,492 para cada kWh;
  • Bandeira Escassez Hídrica – Custo de energia mais caro – R$ 14,20 por 100 kWh consumidos.

Criada por uma resolução do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), a bandeira tarifária escassez hídrica é a mais cara do sistema e desde setembro de 2021 tem incidido sobre a conta de luz dos brasileiros, como medida para cobrir os custos adicionais gerados em decorrência das ações de enfrentamento da escassez hídrica devido a pior seca em 91 anos.

Aumento do volume de chuvas

De acordo com Ciocchi, desde o final de 2021, tem sido registrado um aumento no volume de chuvas, o que ocasionou uma situação favorável aos reservatórios das usinas elétricas, possibilitando um ano mais tranquilo do que em 2021 em relação à conta de luz. “Sudeste e Centro-Oeste terminam o período de chuvas no melhor nível desde 2012”, destacou.

Hoje, 65% da geração de energia no Brasil é realizada pelas hidrelétricas, contudo, fontes de energias renováveis, como eólica, vêm tomando espaço no país e já representam 9% do total.

Embora as usinas hidrelétricas já tenham se recuperado, a contratação de térmicas emergenciais pelo governo é vista como acertada por Ciocchi, porque, segundo ele, elas são necessárias para uma recuperação a longo prazo e garantirão até 2025 a reserva de energia.

Fonte: SCD

Escrito por

Gostou? Compartilhe!

Como abrir uma empresa. Ebook Completo.

Manual para Abrir Empresa

Faça como mais de 100 mil empreendedores! Baixe agora mesmo o Manual Completo para Começar seu Próprio Negócio.

No comment yet, add your voice below!


Faça um Comentário

Tudo certo!

Basta baixar seu e-book pelo botão abaixo! 

Espero que goste!