4 dicas para calcular o décimo terceiro salário dos seus funcionários

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Confira algumas dicas que vão te ajudar a fazer o cálculo do Décimo Terceiro Salário

Conhecida como décimo terceiro salário, a gratificação de Natal foi instituída no Brasil pela Lei 4.090, de 13/07/1962. Ela garante que o trabalhador receba o correspondente a 1/12 da remuneração por mês trabalhado. Ou seja, consiste no pagamento de um salário extra ao trabalhador no final de cada ano.
Muitos empreendedores se assustam na hora de fazer o cálculo de pagamento dessa verba, mas não é algo tão complicado. Confira a seguir algumas dicas que podem te ajudar no momento de fazer o cálculo do 13º para seus funcionários. Continue lendo:

4 dicas para o décimo terceiro salário:

1 – Entender as regras

O Décimo Terceiro Salário pode ser pago de duas formas: integralmente ou parcelado. no primeiro caso, deve ser pago até o dia 30 de novembro. se a escolha for pelo parcelamento, a primeira parcela deverá ser paga entre o dia 1º de fevereiro a 30 de novembro, e a segunda parcela, no máximo, até o dia 20 de dezembro. em ambos os casos, é necessário descontar o INSS e o Imposto de Renda. Se sua empresa for parcelar esse valor, eles devem ser descontados na segunda parcela.

2 – Como funciona o cálculo

O Décimo Terceiro Salário é o salário do funcionário, dividido por 12 meses, vezes a quantidade de meses trabalhados. É importante frisar que todas as verbas de natureza salarial devem compor também essa base de cálculo, como horas extras, adicional noturno e comissões.

( salário / 12 ) x meses trabalhados = 13º salário

3 – Adiantamento do 13º

Essa é uma dúvida comum entre os empregadores, e a resposta é sim, é possível adiantar o Décimo Terceiro Salário. De acordo com a nossa Legislação, dentro do período de férias o colaborador tem direito ao adiantamento do 13º salário, contanto que ele solicite à empresa até o dia 31 de janeiro do mês decorrente, para que seja pago o valor referente à primeira parcela, junto com o valor das férias.

4 – Faltas e afastamentos

As faltas e afastamentos incidem na redução do 13º salário, mas antes de tudo é necessário entender a diferença entre faltas justificadas e injustificadas:
As faltas justificadas são aquelas que a legislação define expressamente como tal, que é o caso das faltas em decorrência de doença comprovada por meio de atestado médico, faltas por falecimento de ascendentes e descendentes, por cumprir as obrigações eleitorais, entre outros.
É importante lembrar que o colaborador, por motivo de doença, ele recebe a gratificação relativa aos meses trabalhados, inclusive os 15 primeiros dias de afastamento. Porém, a partir do 16º dia de afastamento ocorre a suspensão do contrato de trabalho, hipótese em que o trabalhador recebe o 13º referente à esse período diretamente da previdência social com o título de abono anual.
As faltas justificadas não entram no cálculo para a redução do valor a ser recebido. Já as faltas injustificadas são todas aquelas em que a lei não traz ao empregador a obrigação de abonar. Se o funcionário tiver mais que 15 dias sem justificativa em um mês, ele perde o direito à parcela da bonificação.


Gostou dessas dicas? Já fez o cálculo do décimo terceiro salário dos seus funcionários? Conhece outras dicas que poderiam ajudar mais empreendedores? Comente e participe para que possamos melhorar, cada vez mais, os conteúdos do Abertura Simples.

Escrito por

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Manual para Abrir Empresa

Faça como mais de 40 mil empreendedores. Baixe agora mesmo o Manual Completo Para Começar Seu Próprio Negócio.

No comment yet, add your voice below!


Faça um Comentário