Skip to content

7 dicas para entrar em 2018 com as finanças do seu negócio em dia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Confira sete dicas para que você possa deixar o orçamento do seu negócio mais saudável e começar 2018 com as finanças em dia

Terminar ou começar o ano com dívidas é uma péssima ideia, não é mesmo? Para fugir dessa realidade, só há um jeito: controle financeiro. A falta de planejamento financeiro pode trazer consequências desastrosas como dívidas incontroláveis, que arruínam o orçamento e toda a estrutura da empresa.
Mas com um pouquinho de disciplina e dedicação, é possível se organizar e deixar as finanças em dia. Por isso, apresentamos a seguir várias dicas para colocar as suas finanças em dia e poder usufruir da tranquilidade de virar o ano sem débitos. Continue lendo:

7 dicas para deixar suas finanças em dia:

Planeje o orçamento de 2018

Projete a expectativa de receitas, despesas e resultados para todo o exercício, mês a mês. O orçamento será a bússola que permitirá ao empreendedor confrontar o planejado com o realizado. Isso deve ser feito constantemente, e com tempo de fazer uma intervenção. Portanto, se houver descompassos, o empresário não deve esperar o fechamento do exercício para alterar a rota inicial.

Reinvista o lucro

Se os sócios apenas colherem os frutos, uma hora a empresa vai secar. É fundamental que micro e pequenas empresas definam planos de investimento e usem parte do lucro para levar o planejamento a cabo. Esse capital pode ser destinado, por exemplo, para troca de maquinário, ações de marketing, aquisição de outra empresas ou mesmo como prêmio à equipe que garantirá a sustentabilidade do negócio nos próximos anos.

Um olho na lucratividade, outro nas despesas

Fique atento à lucratividade. Distribuidoras, por exemplo, visam a taxas médias de 5%. Já a indústria, o comércio e o setor de serviços podem mirar em 10%, 15% e 30%, respectivamente. Entretanto, sempre que o indicador se afastar da meta, o empreendedor deve revisitar o planejamento e enxugar as despesas, sobretudo as fixas, com pessoal e instalações.

Mantenha a disciplina

O empreendedor que mantém o controle dos dados econômicos, financeiros e patrimoniais ganha praticidade e transparência na gestão. Isso é vital na hora de buscar investimentos, tomar crédito, negociar prazos e honrar compromissos com parceiros. Plataformas que monitoram entradas e saídas de dinheiro, como ERPs, também ajudam na organização das finanças.

Use indicadores para controlar as finanças

Domine os números do negócio e use indicadores para tomar decisões assertivas e fazer eventuais correções de rota. Para isso, use três ferramentas básicas: o DRE (Demonstrativo do Resultado do Exercício), a projeção do fluxo de caixa e o balanço patrimonial.
O DRE revela a história econômica do empreendimento, e com ele é possível obter a margem de contribuição, o lucro operacional, a lucratividade e a rentabilidade. Quem não faz o DRE pode não se dar conta do risco de operar com margem operacional negativa.
Já a projeção do fluxo de caixa exige olhar para a entrada e a saída de recursos, o estoque e os prazos médios de pagamento e recebimento.
Com o balanço patrimonial, por sua vez, é possível avaliar a liquidez da empresa. Dela dependem a capacidade da honrar os compromissos financeiros e a demanda por empréstimos de curto, médio ou longo prazo.

Gerencie o CMV (Custo da Mercadoria Vendida)

Diante de uma lucratividade negativa, a solução nem sempre é aumentar as vendas. Vale, por exemplo, programar melhor as compras e fugir de qualquer custo emergencial que impacte o CMV e diminua a margem do produto.
Destaca-se que o CMV é, basicamente, a soma das despesas para produzir e armazenar a mercadoria até que a venda seja realizada. Além disso, é importante identificar de onde vazam recursos. Não basta olhar os números isoladamente, mas também acompanhar o histórico do indicador.

Separe as contas

Diferencie as finanças dos sócios das finanças da empresa. Isso ajuda não só na contabilidade como dá uma real noção de quão saudável está o caixa. Mesmo apresentando resultados positivos, a empresa pode estar doente financeiramente, devido a descompassos ou déficit no fluxo de caixa.


Gostou dessas dicas? Está se planejando para entrar em 2018 com as finanças em dia? Comente e participe para que possamos melhorar, cada vez mais, os conteúdos do Abertura Simples.
Fonte: PEGN

Escrito por

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Manual para Abrir Empresa

Faça como mais de 40 mil empreendedores! Baixe agora mesmo o Manual Completo para Começar seu Próprio Negócio.

No comment yet, add your voice below!


Faça um Comentário