Você já ouviu falar em Economia Colaborativa? Entenda essa tendência inovadora

 em Planejamento e Finanças

Entenda a Economia Colaborativa e saiba porque ela é a principal tendência para as empresas hoje em dia!

A base fundamental do capitalismo é acumular a maior quantidade de bens possível. A indústria e tudo que a envolve colaboram com isso, mas diversos pesquisadores já comprovarão que tanto a mãe natureza quanto o mercado chegaram em um limite. Esse tipo de hiper consumo em vigência já não é mais sustentável.

Nesse sentido, um novo modelo econômico chega ao mercado para impactar positivamente não só no bolso, mas também na sustentabilidade do planeta. A Economia Colaborativa vem ganhando força ao redor do mundo, e as empresas precisam se adaptar para não acabar sendo passadas para trás. Mas afinal, o que é esse conceito? Continue lendo:

O que é economia colaborativa?

Também conhecida como economia compartilhada, ou em rede, é um movimento que está indo contra a ideia de consumo desenfreado. Como o próprio nome diz, a proposta é compartilhar produtos e serviços, sem focar tanto no lucro em si. É uma nova maneira de comercializar e consumir, onde o consumidor não adquire a posse dos bens, mas sim o seu acesso. A tendência chegou com o objetivo de economizar, aproveitar a conexão em massa e frear o uso de recursos naturais.

Nesse cenário, o consumidor busca pelo produto ou serviço que necessita utilizar temporariamente, sem a necessidade de adquiri-lo. Para os empreendedores, esse conceito pode ser um pouco assustador, mas ele promete ser uma tendência global que está longe de atingir um ápice.

Quais são os princípios de economia compartilhada?

A Economia Colaborativa é fruto da união de três pontos de sucesso que fazem o conceito cada vez mais atrativo a partir da evolução ampla da sociedade:

  • Redistribuição de mercado: É quando um produto que deixou de ser necessário é transferido para um meio onde ele possa ser. O princípio é o de reutilização; reciclagem; redução de consumo e redistribuição;
  • Estilo de vida colaborativo: Baseia-se no compartilhamento de habilidades, serviços e recursos;
  • Compartilhamento de serviços: Quando você coloca em destaque a sua necessidade e não a compra do produto para satisfazê-la. Existem meios de solucionar o seu problema sem que você precise adquirir mais um produto.

Exemplos de economia compartilhada

Transporte compartilhado

Esse conceito ganhou visibilidade com o Uber, revolucionando o transporte de passageiros. Nele, o cliente solicita no aplicativo para que um motorista vá diretamente até ele. O motorista sabe exatamente para onde ir e o pagamento é totalmente eletrônico.

Hoje já existem outras alternativas como o 99Pop, Bynd, Caronetas, Blablacar, Mobiag, Carona Direta e muitos outros. Mas o importante é a conexão de diversos passageiros a um serviço de motorista particular. De quebra, ainda se economiza na compra do carro, gasolina, gastos com manutenção e também na preservação da camada de ozônio.

Escritório compartilhado

Os escritórios compartilhados, ou coworkings, são formatos que possibilitam o compartilhamento de espaços e recursos de escritórios entre as pessoas, reduzindo assim os gastos operacionais. Essas opções se estabeleceram no mercado pelas suas acessibilidades e praticidades.

Hoje existem várias ofertas por esse tipo de serviço, existindo até os gratuitos, mas o grande destaque fica para os espaços locados, pois neles as pessoas podem contar com toda uma infraestrutura profissional de um escritório de alto padrão. Podendo até mesmo utilizar o coworking como endereço fiscal da empresa ou de uma filial.

Estadia compartilhada

Para quem quer viajar e economizar em estadia, já existem serviços de compartilhamento de casas ou apartamentos para a estadia. Esse é o caso do Airbnb, um aplicativo que permite anfitriões compartilharem suas casas, apartamentos e quartos. O aplicativo disponibiliza espaços em 190 países e mais de 34.000 cidades. Tudo o que você precisa fazer é inserir seu destino e as datas da viagem na caixa de busca.

São exibidas fotos de acomodações, perfis de anfitriões e comentários para ajudar a tomar decisões conscientes ao considerar o espaço. Os filtros de busca possibilitam limitar os resultados pelo tipo de acomodação, preço e local. Por exemplo, se estiver em busca de novas amizades e quiser que o anfitrião esteja presente, basta selecionar Quarto Inteiro ou Quarto Compartilhado.


E aí, já sabe tudo sobre a economia colaborativa? Ficou com alguma dúvida sobre esse assunto? Comente e participe para que possamos melhorar, cada vez mais, os conteúdos do Abertura Simples.

Postagens Recentes
Comentários
pingbacks / trackbacks

Deixe uma resposta

thumbnail de rogerio fameli representando a liberdade financeirafoto de rogerio fameli para a thumbnail do video de como captar recursos