Como um funcionário ruim pode contaminar a equipe inteira

 em Gestão e Produtividade

Já dizia o ditado: uma maçã podre pode estragar todas as outras. O mesmo funciona quando se trata dos funcionários de uma empresa. Um funcionário ruim pode contaminar todo o resto da equipe.

Quem diz são os professores de escola de negócios Stephen Dimmockm da Nanyang Technological University (Cingapura) e William C. Gerken, da University of Kentucky (EUA). Em uma pesquisa publicada pela Harvard Business Review, os professores mostram que mesmo os funcionários mais honestos se tornam propensos a terem uma má conduta quando trabalham próximos de pessoas desonestas.

Seria simples pensar que os funcionários honestos levariam os outros a terem atitudes melhor, mas não é bem assim que acontece. Aparentemente, é mais fácil absorver maus comportamentos do que bons.

Para os gestores, é necessário perceber como um funcionário problemático pode ter altos custos para a empresa. As consequências vão além dos efeitos diretos de suas ações – comportamentos ruins de um podem influenciar negativamente os comportamentos dos outros e causar uma série de consequências paralelas.

Qual consequência de um funcionário ruim?

Eles afirmam que, na pesquisa, eles queria entender o quão contagiosa poderia ser essa má conduta. Para isso, examinaram os efeitos gerados nos colegas por má condutas de consultores financeiros que atuavam focados em fusões, assim como empresas de consultoria financeira que tinham atuação diversa.

Durante essas fusões, os consultores trabalham em projetos, com colegas novos colaboradores de uma das filiais da outra empresa. Isso faz com que eles se exponham a novas ideias e comportamentos.

Os pesquisadores definiram então como má conduta os comportamentos como quando o consultor saía de acordo com contas a pagar ou quando havia perdido uma decisão de arbitragem. Eles observaram quando ocorreram reclamações para cada consultor financeiro, bem como para os colegas de trabalho do consultor. Os resultados mostraram então que eles são 37% mais propensos a cometer uma má conduta se eles encontrarem um colega com histórico de má conduta.

Como evitar esse tipo de comportamento?

A dica dos pesquisadores é que exista uma comunicação clara que transmita conhecimento e normas sociais. Deve-se explicar e definir o que é considerado má conduta ou não dentro da organização. Essa comunicação seria mais eficaz, segundo eles, se fosse feita por canais informais e interações sociais. Tudo isso deve ser construído desde o início por meio da cultura organizacional.

Entender como os funcionários se comportam em diferentes situações e entender o motivo dos colegas tomarem decisões parecidas pode ajudar os gestores a prevenir que isso aconteça. É importante para entender como a cultura corporativa aflora e como é possível moldá-la para melhor.

Caso o chefe não consiga avaliar a razão para o funcionário agir de tal forma, é importante pedir intervenção da área de Recursos Humanos da empresa. Se assumir toda a responsabilidade sozinho, o gestor pode ser leviano ou tomar uma atitude drástica. No final, o problema poderia ser resolvido apenas com o alinhamento de ideias.


E aí, já sabe como lidar com um funcionário ruim para que ele não influencie os outros? Pronto para definir a cultura organizacional de sua empresa? Já teve de enfrentar esse problema alguma vez? Comente com suas experiências e conhecimentos para ajudar outros empreendedores. Juntos, podemos melhorar a gestão das empresas para o empreendedorismo mudar o mundo e os indivíduos.

Participe para que possamos melhorar, cada vez mais, os conteúdos do Abertura Simples.

Postagens Recentes

Deixe uma resposta

foto de um homem cruzando a linha, saiba como sair da zona de confortothumbnail do infográfico sobre desenvolvimento pessoal