Dúvida: As empresas podem atrasar o pagamento do salário dos seus funcionários?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Muitas empresas e colaboradores possuem uma dúvida em comum: as empresas podem atrasar o pagamento do salário dos seus funcionários?

Pensando nisso, nós do Abertura Simples, preparamos um material para que você saiba o que diz a legislação com relação às multas e punições que podem ser aplicadas caso o pagamento do salário não seja feito na data correta. Continue lendo:

ATRASO NO PAGAMENTO DO SALÁRIO: PODE OU NÃO PODE?

O desempenho positivo de uma empresa depende de diversos fatores, entre os mais importantes está o engajamento dos colaboradores que movem e tornam real o modelo de negócio da corporação. E de acordo com algumas pesquisas, o que mais gera multa na Justiça do Trabalho brasileira são as mentiras em ações trabalhistas, efetuar anotações negativas na CTPS, atrasar o salário e o pagamento de férias, não pagar o 13° salário, não assinar a carteira de trabalho, entre outros.

O RH é o departamento responsável por selecionar, contratar, treinar, remunerar e comunicar todos os acontecimentos da corporação ao colaborador, mas, além disso, uma empresa que possui este departamento estruturado, conquista a confiança e fidelidade do funcionário, o que interfere diretamente no desempenho, motivação e expectativas do mesmo.

Um dos direitos mais valorizados pelo colaborador é o seu salário. Este, por sua vez, nada mais é do que a recompensa justa por ter prestado seu serviço por um determinado período.

Mas, todos nós estamos sujeitos a imprevistos. Acontece com os colaboradores, como também pode acontecer com as empresas. Seja por falta de planejamento ou falta de caixa, o artigo 2° da CLT prevê que uma empresa não pode transferir os riscos e dificuldade de sua atividade econômica para os empregados. Isto quer dizer que, não importa qual a situação de dificuldade de uma empresa, não há motivo válido para que o salário atrase. E caso algum dia a empresa atrase o pagamento do salário dos seus colaboradores, existem alguns mecanismos na lei que antecipam punições para os empregadores que incidirem ou reincidirem nesse comportamento.

LEGISLAÇÃO

Segundo o parágrafo 1 do art. 459 da CLT, é dever da empresa efetuar o pagamento dos salários dos empregados até o quinto dia útil do mês subsequente ao vencido, o que não inclui sábados, domingos e feriados.

Porém, embora a legislação deixe claro uma data limite para o pagamento dos salários vencidos, a CLT é omissa com relação a eventuais multas que possam ser aplicadas à empresa.

Art. 459 – O pagamento do salário, qualquer que seja a modalidade do trabalho, não deve ser estipulado por período superior a 1 (um) mês, salvo no que concerne a comissões, percentagens e gratificações.

1º Quando o pagamento houver sido estipulado por mês, deverá ser efetuado, o mais tardar, até o quinto dia útil do mês subsequente ao vencido. (Redação dada pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989).

Portanto, as empresas NÃO podem atrasar o pagamento do salário dos seus funcionários, podendo assim sofrer penalidades. A companhia que incorrer nessa falha terá que pagar as referidas multas em favor dos seus colaboradores e, caso haja autuação fiscal, nos termos da Lei 7.855/89, em seu artigo 4, onde também existe pagamento de multa ao Ministério do Trabalho.

Imagem de uma carteira sem dinheiro para remeter o atraso no pagamento do salário dos funcionários

DIREITOS DOS TRABALHADORES

Se a empresa atrasar o pagamento do salário, a multa padrão estabelecida por lei para casos de salário atrasado é prevista pelo Tribunal Superior do Trabalho, o TST. De forma geral, deve estar de acordo com os seguintes termos:

  • Atraso de período inferior a 20 dias: correção monetária necessário sobre o período e multa adicional de 10% sobre o saldo devedor;
  • Atraso superior a 20 dias: soma-se, à multa anterior, um acréscimo de 5% a cada dia de atraso após o vigésimo dia.

Além disso, atrasos recorrentes e atraso de um longo período servem como motivo válido para pedido de rescisão indireta, onde o empregador ainda precisa pagar multa de 40% sobre o valor do FGTS para o empregado. Pode-se somar as multas do atraso previstas pelo TST à justificativa da rescisão indireta do empregado.

Nos casos onde constam comprovações de consequências relevantes do atraso do pagamento do salário para a vida pessoal do colaborador (como por exemplo, constrangimento, dívidas ocasionadas pelo atraso, ou a necessidade de vender produtos pessoais para o pagamento de contas básicas), pode-se ainda existir uma disputa judicial de danos materiais e morais, que pode levar a empresa a uma indenização adicional sobre a situação.


E aí, ficou claro que imprevistos acontecem, não é mesmo? Mas caso a incidência de atraso de pagamento de salário seja muito alta, saiba que você é amparado por lei, onde todos os seus direitos estão assegurados.

Fonte: Sage Blog

Escrito por

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Manual para Abrir Empresa

Faça como mais de 40 mil empreendedores. Baixe agora mesmo o Manual Completo Para Começar Seu Próprio Negócio.

No comment yet, add your voice below!


Faça um Comentário