Skip to content

Seguro-desemprego 2022: valor das parcelas deverá ser reajustado; veja a previsão

O seguro-desemprego, benefício que oferece aos trabalhadores brasileiros um auxílio em dinheiro por um período determinado, terá seu valor provavelmente reajustado em 2022. A expectativa é que o valor de base do benefício possa chegar a R$ 1.210,44, caso a variação do Índice Nacional dos Preços ao Consumidor (INPC) permaneça em 10,04%.

Isso porque, o INPC é a base utilizada pelo governo federal para definir o reajuste do salário mínimo. E o valor do salário mínimo, por sua vez, é utilizado como parâmetro para a correção de outros benefícios como os do INSS, PIS/Pasep e, claro, o seguro-desemprego.

Caso a variação do INPC, divulgado pelo governo federal neste mês de novembro, seja mantida e não haja mudança no cálculo, o reajuste do salário mínimo para 2022 pode chegar a R$ 1.210,44. Assim, o piso para o cálculo do seguro-desemprego também será desse valor, não podendo ser inferior a esse montante.

Vale notar que o seguro-desemprego é pago de três a cinco parcelas de forma contínua ou alternada e que o valor das parcelas varia de acordo com o tempo trabalhado. Os empregados domésticos recebem apenas três parcelas do benefício.

De acordo com o governo federal, para receber três parcelas do seguro-desemprego, o trabalhador deve comprovar no mínimo seis meses trabalhado; para receber quatro parcelas, ele deve comprovar no mínimo 12 meses; e para receber cinco parcelas do benefício, deve ter trabalhado durante período superior a 24 meses.

Para aqueles profissionais que precisam solicitar o seguro-desemprego pela 1ª vez, devem comprovar a atuação no mercado de trabalho pelo período de ao menos 12 meses com carteira assinada em regime CLT. Já para requerer o benefício pela 2ª vez, devem comprovar a atuação por pelo menos 9 meses.

A partir da 3ª vez, basta o tempo mínimo exigido de seis meses de trabalho. O prazo entre um pedido e outro não deve ser inferior a 16 meses.

Quem tem direito ao seguro-desemprego

  • Trabalhador formal e doméstico, que foi dispensado sem justa causa, incluindo a dispensa indireta;
  • Trabalhador formal que teve seu contrato de trabalho suspenso em virtude de participação em curso ou programa de qualificação profissional oferecido pelo empregador;
  • Pescador profissional ao longo do período compreendido pelo defeso;
  • Trabalhador resgatado de condição semelhante à de escravizado.

Para quem deseja solicitar o seguro-desemprego deve ficar atento ao prazo de requisição estipulado pelo governo federal de acordo com a função de cada trabalhador. Veja abaixo:

  • Trabalhador formal: do 7º a 120º dia da data de dispensa;
  • Bolsa qualificação: a solicitação deve ser feita durante a suspensão do contrato de trabalho;
  • Empregado doméstico: do 7º ao 90º da data de dispensa;
  • Pescador artesanal: durante o defeso, tendo até 120 dias do início da proibição para requerer o benefício;
  • Trabalhador resgatado: tem até o 90º dia da data associada ao resgate.

Fonte: Tudo Bahia

Escrito por

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on twitter
Share on whatsapp
Como abrir uma empresa. Ebook Completo.

Manual para Abrir Empresa

Faça como mais de 100 mil empreendedores! Baixe agora mesmo o Manual Completo para Começar seu Próprio Negócio.

No comment yet, add your voice below!


Faça um Comentário

Tudo certo!

Basta baixar seu e-book pelo botão abaixo! 

Espero que goste!