Você sabe o que são as startups de fintechs? Elas estão revolucionando o mercado brasileiro. Confira!

Empreendedor, você sabe o que são as startups de fintechs? Então confira aqui:

Quem nunca tirou o dia para ir ao banco para abrir uma conta e ficou na fila durante um bom tempo para descobrir que ainda faltava algum documento? Ou então ficou com receio de contratar um seguro ou de fazer investimento por medo de ser enganado? Que tal então, esquecer o cartão e não ter como pagar a conta? Esses acontecimentos são comuns e todo mundo já passou por isso em algum momento da vida. Mas tudo isso está com os dias contados e um dos motivos para isso são as startups de fintechs, que estão revolucionando o mercado brasileiro. Quer saber mais sobre isso? Então continue lendo:

QUER SABER MAIS SOBRE AS STARTUPS DE FINTECHS? ENTÃO CONTINUE LENDO:

O QUE SÃO AS STARTUPS DE FINTECHS?

Fintechs são startups que trazem inovação profundas para o mercado de serviço financeiros, com soluções muito mais acessível e revolucionárias. Elas são novas formas de lidar com finanças, transformando o que antes conhecíamos como convencional. São diversas as tecnologias que estão chegando e sendo utilizadas nos aplicativos de finanças. A inteligência artificial (I.A.) é uma delas, que pode auxiliar tanto em personalização de serviços. A outra é o blockchain.

O setor bancário é um dos que mais lucram no Brasil e no mundo. No ano passado, os cinco maiores bancos brasileiros tiveram juntos um lucro líquido de 69,9 bilhões de reais, alta de 16,2% em comparação com 2014, de acordo com o levantamento do Dieese.

MAIS EFICIÊNCIA, MENOS CUSTO E BUROCRACIA = STARTUPS DE FINTECHS

O cenário parece desafiador para as instituições bancárias, mas é animador e potencialmente mais econômico para o usuário. As startups de fintechs são baseadas na eficiência desse mercado. Por serem mais simples, elas conseguem competir com diversos fatores, entre eles o preço. O Brasil atualmente conta com aproximadamente 130 fintechs e metade delas já alcançaram um faturamento acima de 1 milhão de reais, de acordo com o relatório do FintechLab.

FOCO NA EXPERIÊNCIA DO CLIENTE

O foco na experiência do cliente é outra ótima noticia para os usuários dessas fintechs, já que os empreendedores estão com o objetivo de oferecer serviços para essa fatia de mercado.

Muitas dessas empresas conquistaram e conquistam seus usuários justamente em cima desse comportamento pouco praticado por grandes instituições. O resultado é que as pessoas não são exatamente fãs dos bancos dos quais são clientes e por isso, estão abertas a alternativas que lhes pareçam melhores.

Outro movimento importante potencializado por essas startups de fintechs é o aumento das opções de serviços financeiros para a população de baixa renda. Como exemplo, podemos citar os cartões sem taxas, micro seguros, empréstimos com taxas mais baixas, entre outros.

REGULAMENTAÇÃO DAS FINTECHS BRASILEIRAS

Em abril de 2018, o Governo regulamentou a atuação de duas modalidades de fintechs no Brasil:

  • Sociedades de Empréstimos entre Pessoas (SEP);
  • Sociedades de Crédito Direto (SCD);

Segundo o diretor de Regulamentação do Banco Central, Octavio ribeiro Damaso, a medida busca reduzir o gap no mercado de crédito bancário e com ela, empresas e pessoas poderão pegar dinheiro de startups com taxas de juros mais baixas do que as cobradas pelos bancos. Ao mesmo tempo, também será possível emprestar para as fintechs com taxas mais atrativas do que as do mercado de renda fixa tradicional.

FINTECHS BRASILEIRAS FOCAM NOS PEQUENOS NEGÓCIOS PARA CRESCER

As startups de fintechs, como o próprio título do texto diz, são um fenômeno no sistema financeiro do país, já que mostram um apetite muito grande para trabalhar com empresas, sobretudo as de pequeno porte. Segundo pesquisa realizada pelo Sebrae em parceria com a Associação Brasileira de Fintechs – ABFintechs, em metade delas, pelo menos 30% dos clientes são formados por pequenos negócios, sendo que em 40% dos casos as MPE são maioria na carteira de clientes. Apenas 10% da fintechs não atende pessoas jurídicas e 84,1% delas demonstraram interesse em desenvolver produtos e serviços específicos às necessidades das micro e pequenas empresas.

Imagem de um homem clicando em um serviço bancário online para remeter as startups de fintechs

CONHEÇA AS PRINCIPAIS ÁREAS DAS FINTECHS

Com um cenário tão positivo, acredito que você, empreendedor, deve estar querendo conhecer as principais áreas das startups de fintechs. Por isso, separamos algumas, confira:

Criptomoedas e blockchain

A criptomoeda é um conjunto de moedas digitais que tem como principal ferramenta a criptografia para ter transações seguras e controlar melhor a criação de novas unidades. Toda criptomoeda usa blockchain, que significa o sistema que garante a segurança das transações. Em 2009 o bitcoin se tornou a primeira criptomoeda descentralizada, ou seja, definida por um código aberto e auto regulável.

Investimentos

Os investimentos estão deixando de ser algo complicado e se tornando cada vez mais simples e transparentes para os seus usuários. Existem várias startups de investimentos interessantes e com focos diferentes, trazendo novas formas de investir até achar a melhor solução.

Controle Financeiro

Sendo uma grande aposta, a área de controle financeiro promete ajudar os usuários a fazerem boas escolhas e gerir o próprio dinheiro.

Meios de Pagamento

Apesar dos pagamentos serem os responsáveis por grande parte do mercado das fintechs, ainda há muito espaço que pode ser explorado. Enquanto algumas das iniciativas mais comuns são via digital, muitas vezes voltadas para o e-commerce, outras trazem ideias mais inovadoras, como a de unir todos os pagamentos em um só lugar.

Seguros

Dentro das fintechs ainda é possível citar os insurtechs, que são as startups de seguros. Aqui no país esse é um mercado em constante crescimento, e as insurtechs ainda é bastante novo no Brasil. Por isso, o empreendedor que quiser investir nesse segmento, pode esperar um cenário bastante promissor e com bastante potencial.

Parcerias entre bancos e empresas de tecnologia

É muito provável que os bancos e outras instituições financeiras passem a se unir às empresas de tecnologia, em busca do desenvolvimento de novas soluções. O trabalho será, portanto, de encontrar novos problemas e soluciona-los por meio de produtos ou serviços inovadores.

Mais aplicativos

O smartphone foi um dos grandes responsáveis pela maior acessibilidade dos serviços financeiros. Ele aproxima os clientes das soluções geradas pelas fintechs e as torna ainda mais simples. A projeção é de cada vez menos as pessoas precisem se descolar até suas agências bancárias, por exemplo, para resolver problemas financeiros.


E aí, você já conhecia as startups de fintechs? Elas vieram para revolucionar o mercado e trazer uma série de benefícios para quem as utiliza. E, além de reinventar a forma como as pessoas cuidam do seu dinheiro, a combinação entre tecnologia e finanças institui uma melhoria significativa na vida financeiras das pessoas.

Escrito por

Gostou? Compartilhe!

Manual para Abrir Empresa

Faça como mais de 40 mil empreendedores. Baixe agora mesmo o Manual Completo Para Começar Seu Próprio Negócio.

No comment yet, add your voice below!


Deixe uma resposta