10 passos para começar um e-commerce do zero

 em Empreendedorismo

Hoje em dia, com os avanços da tecnologia, muitas pessoas optam por começar um negócio por meio da tecnologia abrindo um e-commerce. Dependendo do tipo de comércio, a estrutura física não é uma necessidade, e isso diminui muito os custos.

Começar uma loja virtual é um processo cada vez mais fácil, e isso pode ser bom por um lado, pois qualquer pessoa pode entrar nesse mercado. Porém, também mostra que existe uma grande competição para se destacar. Por isso, deve haver um trabalho bem focado em criar um diferencial de destaque.

Neste artigo, compilamos um passo-a-passo de como você pode começar o seu e-commerce desde o começo, desde a criação de uma ideia de negócio, passando pela estrutura do site, início das vendas, e relacionamento com o cliente (mesmo sem gastar muito). Confira!

Como começar um e-commerce:

1. Planejamento

O primeiro passo para começar qualquer empreendimento é planejar. Sem isso, nada vai para a frente. Você deve analisar e responder três perguntas essenciais: O que você vai vender? Para quem vai vender? E de quem você vai comprar?

O planejamento deve ser de forma escrita, envolvendo todas as questões do negócio. O documento levará informações como logística, estoque, público alvo, tipo de produto que será posto à venda, mercado potencial, investimentos, área de atuação e muito mais.

Leve em consideração também as tendências do mercado e os dados econômicos. Os fatores externos influenciam diretamente no seu negócio. E é claro, não se esqueça de analisar os concorrentes e o que você fará para se destacar vendendo produtos semelhantes.

Montagem de como fazer o planejamento do ecommerce

2. Identidade Visual

Em uma loja física, a estrutura e aparência são pontos muito importantes na captação de clientes. Isso acontece também nas lojas virtuais. O seu site teve ter uma identidade visual bem estruturada, organizada e atrativa, para que as pessoas consigam encontrar o que querem de forma fácil.

Mas afinal, o que é identidade visual? É o conjunto de imagens, cores, símbolos, logotipos, fontes e padrões visuais que representarão graficamente a sua instituição. Por isso, a identidade visual do seu site deve ter a cara do seu negócio. É interessante que ela passe credibilidade, modernidade, e que também seja fácil de navegar.

É indispensável que esse trabalho seja feito por profissionais experientes e atualizados sobre as principais tendencias. Durante esse processo, deve ser definido o padrão visual, as cores, disposição de fotos, e muito mais. A criatividade deve ser bem explorada, mas de forma consciente. Um site com muitas informações ficará poluído, e de difícil compreensão.

Montagem com a identidade visual do ecommerce - Abertura Simples

3. Domínio

Agora é a hora de escolher o nome da sua loja. Porém, além disso, saber se ele está disponível na internet. O domínio do site será o endereço que levará as pessoas até sua loja virtual, e não precisa necessariamente ter o mesmo nome, mas o ideal é que seja, para que o cliente possa assimilar com mais facilidade.

Além disso, se o endereço for um nome mais curto e simples, ela será mais fácil de ser lembrada e pronunciada. Tudo para que o cliente não tenha problemas na hora de digitar o site.

Pense que quanto melhor o domínio escolhido, menos você terá de gastar com divulgação, pois a memorização do nome já garante que muitas pessoas se lembrem de uma ou outra empresa. Além disso, ter um bom domínio pode garantir também um posicionamento melhor no Google e em outros sites de busca.

Montagem com o domínio do site do ecommerce

4. Plataforma

A escolha da plataforma ideal é talvez o passo mais importante na abertura de um e-commerce, pois é ela quem vai determinar o futuro da sua loja virtual. A plataforma é como uma casa, ao mesmo passo que o domínio é o endereço.

Uma plataforma flexível e sujeita a mudanças é essencial para que você possa adaptá-la às suas necessidades e preferências. Vale lembrar também que as plataformas gratuitas são mais limitadas a isso, podendo atrapalhar o crescimento do seu negócio.

Basicamente existem duas opções de plataformas recomendadas: Open Source e as plataformas alugadas.

A primeira opção são de código aberto, permitindo que você customize a sua escolha na hora de montar o seu e-commerce. Dessa forma, é possível mudar o layout e as funções à sua escolha, porém não são a melhor opção para quem quer começar com algo simples e de baixo custo, pois exige que você tenha conhecimento em programação ou contratação de alguém que entenda.

Já nas plataformas alugas você apenas paga um valor (geralmente mensal) e não precisa se preocupar com o código do seu site. Basta alugar e já começar a cadastrar os produtos para começar a vender. De certo modo isso é eficiente para quem deseja começar um e-commerce com pouco dinheiro, porém limita as opções de deixar o seu site com a cara do seu negócio.

Montagem de como escolher a plataforma do ecommerce

5. Site responsivo

Hoje em dia ter um site responsivo já passou de um diferencial, e se tornou uma necessidade. Os smartphones, tablets e até mesmo as Smart TVs fazem parte do dia a dia das pessoas, e muitas optam por fazer compras pelo próprio aparelho. É nesse momento que surge a responsividade.

E você deve estar se perguntando, o que são sites responsivos? São aqueles que, independente da plataforma em que estejam sendo acessados, adaptam seu layout ao tamanho e resolução de cada uma. É inviável criar um site diferente para cada dispositivo, por isso fica evidente a importância da responsividade no sucesso de um negócio.

Além disso, ter um site responsivo também ajuda a ter uma posição melhor nos sites de busca. Quem já se adaptou a esse modelo fica um passo a frente daqueles que ainda não se atualizaram. Dependendo da plataforma que você escolher para o seu site, é possível que ela já ofereça essa opção.

Montagem com ter um site responsivo no ecommerce

6. Segurança

A importância de um sistema seguro para sua loja virtual não deve ser deixada de lado. Não só pela segurança das transações eletrônicas, mas também pela experiência de compras de seus clientes. Afinal, ninguém quer passar suas informações de cartão de crédito em um ambiente que não transparece segurança.

Empresas que trabalham com dados pessoais de clientes devem ter um Certificado Digital (SSL) que proteja essas informações. O certificado criptografa as mensagens entre empresa-cliente e cliente-empresa. A informação só é descriptografada assim que é recebida pelo destinatário. Dessa forma, mesmo que haja interceptação entre a transmissão, não é possível acessar o conteúdo.

Se a empresa não investir na segurança do site, os riscos são prejudiciais para ambos os lados. Os programas conhecidos como “malwares” podem se infiltrar no seu servidor e acessar o banco de dados da sua loja virtual. Entre os riscos que uma loja virtual está sujeita estão:

  • Invasão do site para modificar a estrutura do site
  • Invasão para uso de recursos do sistema
  • Invasão para o roubo de informações do banco de dados de pagamento
  • Invasão para roubo de outros tipos de de dados, como mailing da loja

Montagem de manter a segurança no ecommerce

7. Formas de pagamento

Ao mesmo passo em que você define os preços dos seus produtos por meio de uma análise do público alvo e dos concorrentes, é necessário também escolher quais serão as formas de pagamento disponíveis no seu site. Algumas plataformas oferecem a opção de pagamento através do próprio site, sem a necessidade de um intermediário. Mas é possível também efetuar o pagamento por outro meio, como o PayPal, por exemplo.

É importante que você ofereça diversas opções de pagamento para seus clientes, além do cartão de crédito. Muita pessoas, principalmente por medo de oferecer seus dados, optam pelo boleto. Isso muitas vezes é um diferencial que pode levar os clientes a optarem pela sua loja e não por outra.

Montagem das formas de pagamento do ecommerce

8. Marketing

Perfeito, o seu e-commerce já está ativo. Mas se você não anunciá-lo, as pessoas nunca saberão que ele existe. Você deve investir na divulgação de seu negócio, seja por meio de redes sociais, e-mail marketing, anúncios, links patrocinados ou por outras diversas ferramentas, para que o seu negócio chegue até as pessoas certas.

Os consumidores procuram muito pela internet para buscar mais informações e comparar os produtos. Por isso, a importância de manter o seu marketing digital bem ajustado.

Para isso, será necessário desenvolver uma estratégia e desembolsar um certo investimento. Você pode contar com uma agência especializada em marketing digital, ou fazê-lo você mesmo. Mas não se esqueça de que esse trabalho deve ser constante, não apenas para anunciar mas também para manter um bom relacionamento com seus clientes.

Montagem com o Marketing do e-commerce

9. Logística

Assim que sua loja online começar a realizar vendas, ela irá se defrontar com um ponto crítico desse setor: o transporte das mercadorias a todos os clientes, em suas mais diversas localidades, com o menor custo.

Nesse momento, a logística tem o papel de planejar, executar e controlar o transporte, frete e embalagem dentro e fora da empresa. O dono de um e-commerce precisa considerar também o atendimento a distância para pedidos de produto ou dúvidas, seja por telefone, e-mail ou até mesmo pelo Whatsapp.

Além de proporcionar uma vantagem competitiva, ter uma boa logística fará que você agrade uma grande fatia de mercado. Ter um e-commerce e não se preocupar com a estrutura logística é o mesmo que não esperar retorno, e pode muitas vezes dar diversos prejuízos.

Montagem do processo de logistica do e-commerce

10. Legislação

Assim como qualquer loja física, o e-commerce também possui leis, que são compostas basicamente pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC) e pelo Decreto nº 7.962/2013, mais conhecido como Lei do E-commerce. O primeiro foi criado muito antes do comércio eletrônico existir, portanto não possui elementos específicos para esse modelo de negócio. Já o segundo foi instaurado para completar as lacunas que faltavam no CDC, tornando-se o principal regulamentador de e-commerce no país.

As três frentes prioritárias da Lei do e-commerce são:

  • Informações claras e visíveis
  • Atendimento ágil e eficaz
  • Direito de arrependimento

Por isso, é essencial deixar informações muito bem posicionadas na sua loja virtual. Dessa forma, você não só estará atendendo aos requisitos legais do e-commerce, mas também fazendo com que o cliente tenha uma visão melhor da loja, pois ele se sentirá seguro encontrando facilmente todos os dados que precisa.

Além disso, surge aí a importância de atender seus clientes da melhor forma possível, disponibilizando para eles o direito de devolverem algum produto.

Montagem da legislação aplicada no e-commerce


Concluindo:

Existem muitas formas de fazer com que seu e-commerce dê certo, mas é preciso se atentar a todos esses detalhes antes de fazê-lo funcionar. Atente-se ao seu mercado e público alvo para poder planejar o produto que você pretende ofertar, e o preço. Certifique-se de que a estrutura do seu site funcione corretamente, e se esforce para que mais pessoas conheçam o seu negócio. Além disso, não abra mão dos clientes que você obter: crie canais de comunicação para manter uma boa relação com aqueles que demonstram interesse na sua empresa.

E não se esqueça do mais importante: Para abrir um comércio virtual é obrigatória a existência de um CNPJ. É uma forma de passar credibilidade para os clientes e também segurança jurídica de que tudo está sendo feito de acordo com as normas. Para abrir o seu CNPJ você pode contar com os serviços do Abertura Simples, especializados na abertura de empresas. Nossa equipe está a disposição para atender a todos as etapas da abertura do seu e-commerce. Clique aqui e saiba como!

Está pensando em abrir um e-commerce? Conhece alguma dica de sucesso para quem deseja começar? Comente abaixo e participe, ou abra seu negócio conosco.

Logo da empresa Abertura Simples para Mobile

Postagens Recentes

Deixe uma resposta

Como melhorar a comunicação entre franquiasFoto do empresário Richard Branson segurando um protótipo de avião