Passo a Passo: Como investir no Tesouro Direto

Você já pensou em como investir no Tesouro Direto e fazer o seu dinheiro render mais? Investir em Títulos Públicos é uma das formas mais seguras de renda fixa, muitas vezes até mesmo superar a caderneta de poupança.

Os Títulos Públicos são emitidos pelo Governo Federal para pagar e financiar suas atividades, como saúde, educação e infraestrutura.

Dessa forma, quando a pessoa compra um Título Público, é como se ela estivesse emprestando dinheiro ao Governo. O órgão responsável pela emissão desses títulos é a Secretaria do Tesouro Nacional.

Abaixo, explicaremos quais são os Títulos que você pode escolher e também como investir no Tesouro Direto para fazer o seu dinheiro trabalhar por você. Confira:

Como investir no Tesouro Direto

O Tesouro Direto é considerado um investimento de baixo custo, logo que suas aplicações começam a partir de R$ 30. É também um dos mais seguros no quesito risco de crédito, logo que o investidor está emprestando o dinheiro para o Governo, um devedor mais “fiel” e com menos riscos de “quebrar” sem honrar seus compromissos.

ilustração de uma pessoa procurando instituição financeira, representando como investir no tesouro direto

1. Encontre um banco ou corretora de confiança

A primeira coisa que você precisa ter é um CPF e uma conta em uma instituição financeira.

A partir daí, você pode escolher uma instituição de confiança, que pode ser um banco ou corretora, também conhecida como agente de custódia. Estes vão intermediar suas transações com o Tesouro Direto.

É possível conferir uma lista de instituições financeiras habilitadas clicando aqui.

ilustração de uma mulher sentada em um banco, representando como investir no tesouro direto

2. Abra uma conta

Assim que escolher a instituição financeira, entre em contato com ela para solicitar o seu cadastramento.

Para abrir uma conta do investidor na BM&FBovespa, é necessário informar nome, profissão, endereço e entregar cópias do comprovante de residência, RG e CPF.

ilustração de uma mulher andando na rua, representando como investir no tesouro direto

3. Receba a senha no seu e-mail

Você receberá em seu e-mail uma senha provisória para o primeiro acesso à área restrita do Tesouro Direto.

Neste local, são realizadas as operações de compra e venda, assim como extratos e consultas a saldos.

Você poderá trocar por uma nova senha, que deverá conter entre 8 a 16 dígitos, e composta por letras, números e caracteres especiais.

foto de um homem andando na rua, representando como investir no tesouro direto

4. Escolha um título de acordo com o seu perfil

Você precisa descobrir qual título é mais adequado para alcançar o seu objetivo financeiro. Os tipos de títulos disponíveis são:

  • Tesouro Selic – Este título têm sua rentabilidade dada pela variação da taxa Selic, a taxa básica de juros da economia, enquanto você possui-lo em sua carteira. Logo, trata-se de uma remuneração variável, que será definida após o momento de compra do título. É recomendado para quem acredita que a taxa básica de juros irá subir ou se manter estável.
  • Tesouro prefixado – A rentabilidade desses títulos é contabilizada por uma taxa preestabelecida no momento da compra. Ou seja, o investir já sabe quanto irá receber no resgate na mesma hora em que fechar a compra do título. É recomendado para quem deseja fazer uma poupança de médio a longo prazo, com mais segurança.
  • Tesouro prefixado com juros semestrais – É bem parecido com o prefixado, porém com o acrescimo de juros definidos no momento da compra. A diferença é que faz pagamentos de juros a cada semestre, e não apenas na data de vencimento. Recomendado para quem quer complementar a renda e investidores que precisam saber o valor exato do resgate.
  • Tesouro IPCA – A rentabilidade destes é dada por uma taxa prefixada acrescida das variações da inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). O investidor desse título recebe o valor investido mais os juros no momento de vencimento ou resgate, caso decida vender antecipadamente. É mais recomendado para quem quer formar uma poupança a longo prazo, protegendo-se da inflação.
  • Tesouro IPCA com juros semestrais – Igual a IPCA, porém com a diferença de que os juros caem na conta do investidor a cada seis meses. Esse título é mais recomendado para quem também quer complementar a renda, mantendo seu poder de compra no futuro.
ilustração de uma pessoa entregando dinheiro para outra

5. Faça sua primeira aplicação

Efetue a compra na área restrita e pronto, você já pode se considerar um investidor do Tesouro Direto!

A quantidade mínima de compra deve ser a fração de 0,01 título, ou seja, 1% do valor de um título, respeitando o valor mínimo de R$ 30,00. O valor máximo para aplicação é de R$ 1 milhão por mês, e não há limite financeiro para venda.


Você já pensou em como investir no Tesouro Direto? Espero que tenha conseguido esclarecer suas dúvidas.

Está em dúvida se investe no Tesouro Direto ou na Bolsa de Valores? Confira aqui uma matéria completa onde explicamos também as principais diferenças entre as duas.

Não esqueça de comentar e ficar por dentro dos conteúdos do Abertura Simples.

Escrito por

Gostou? Compartilhe!

Manual para Abrir Empresa

Faça como mais de 40 mil empreendedores. Baixe agora mesmo o Manual Completo Para Começar Seu Próprio Negócio.

No comment yet, add your voice below!


Deixe uma resposta