Skip to content

Abordagem rápida é indicada para empresas enfrentarem a desaceleração econômica, segundo Harvard Business

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Não é fácil para as empresas enfrentarem a desaceleração econômica que está sendo desencadeada pela pandemia de coronavírus. No entanto, David Rhodes, líder global da área de atuação de instituições financeiras da empresa, e Daniel Stelter, líder global da área de prática de desenvolvimento corporativo da empresa, explicam em um artigo na Harvard Business uma abordagem rápida para lidar com a situação.

“Uma resposta desorganizada pode gerar um sentimento de pânico em uma organização. E isso distrairá as pessoas de verem algo crucialmente importante: as oportunidades ocultas, mas significativas, aninhadas entre as más notícias econômicas”, explicam os especialistas.

Eles recomendam que as empresas adotem uma abordagem abrangente e agressiva.  “Uma pesquisa do Boston Consulting Group indica que as empresas cujas respostas iniciais a uma desaceleração são tentativas (por exemplo, um aperto de cinto modesto) geralmente reagem mais tarde (por exemplo, reduzindo custos mais do que eles precisam). Isso resulta em uma recuperação cara para a empresa quando a economia se recupera”, enfatizam.

Diante disso, eles indicam que as empresas adotem a seguinte abordagem:

Coronavírus: efeito causado nos micro e pequenos negócios
Coronavírus: efeito causado nos micro e pequenos negócios

Avalie as vulnerabilidades da empresa

“O primeiro passo para uma empresa adotar um ambiente econômico desafiador – especialmente um que pode piorar significativamente – é avaliar de maneira sistemática suas próprias vulnerabilidades, no nível da empresa e por unidade de negócios”.

Considere vários cenários

Os especialistas pedem que os empreendedores avaliem vários cenários à medida que a crise evolui. “Esboce pelo menos três cenários – uma recessão modesta, uma recessão mais severa e uma depressão total, conforme definido pela duração e gravidade”.

E continuam “em seguida, determine as maneiras pelas quais cada um dos cenários pode afetar seus negócios. Como a capacidade limitada de empréstimos dos consumidores reduziria a demanda por seus produtos? A insegurança no emprego e a deflação dos preços dos ativos tornarão ainda mais digno de crédito cada vez mais relutante em assumir mais dívidas?”.

Quantifique o impacto em seus negócios

“Execute simulações para cada um desses cenários que geram resultados financeiros com base nas principais variáveis, incluindo volume de vendas, preços e custos variáveis. Certifique-se de enfrentar o que você vê como o pior caso. Por exemplo, que efeito teria um declínio de 20% no volume de vendas e um declínio de 5% nos preços no desempenho financeiro geral?

Você pode se surpreender ao descobrir que, mesmo no caso de uma empresa ainda saudável, com margens operacionais (antes de juros e impostos) de cerca de 10%, esse declínio no volume e nos preços pode transformar os lucros atuais em enormes perdas e deixar a empresa profundamente no vermelho. Conduza uma análise semelhante para cada unidade de negócios”.

Avalie as vulnerabilidades dos rivais

“Seu setor e os locais de suas operações em todo o mundo ajudarão a determinar como seus negócios serão afetados. É fundamental entender seus pontos fortes e fracos em relação aos de seus concorrentes. Eles terão diferentes estruturas de custo, posições financeiras, estratégias de fornecimento, mix de produtos, foco no cliente e assim por diante”.

De acordo com os especialistas, isso “ajudará a identificar áreas específicas em que você está vulnerável e onde a ação é mais necessária imediatamente. Essa análise também ajudará você a comunicar a toda a organização uma justificativa e uma motivação sobre as ações que você precisará executar em resposta à crise”.

Como você pode reduzir sua exposição?

Após a abordagem acima, os especialistas recomendam que os empreendedores descubram a melhor maneira de sobreviver e maximizar o desempenho da sua empresa durante a crise. Isso requer alcançar vários objetivos, como: proteger os fundamentos financeiros.

“O objetivo aqui é garantir que sua empresa tenha fluxo de caixa adequado e acesso ao capital”. Além disso, recomendam proteger o negócio. “Depois de garantir que a empresa esteja em uma posição financeira firme, procure proteger a viabilidade do negócio. Você deve estar preparado para agir rápida e decisivamente para melhorar as operações principais. Comece com movimentos agressivos para reduzir custos e aumentar a eficiência”, explicam.

Agora que você já sabe como as empresas enfrentarem a desaceleração econômica, o que acha de aprimorar ainda mais seus conhecimentos? Leia nosso artigo com algumas dicas de cursos para empreendedores.

Escrito por

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Manual para Abrir Empresa

Faça como mais de 40 mil empreendedores! Baixe agora mesmo o Manual Completo para Começar seu Próprio Negócio.

No comment yet, add your voice below!


Faça um Comentário