O que é o LALUR (Livro de Apuração do Lucro Real)? Como é composto?

 em Contabilidade

Entenda o que é o LALUR (Livro de Apuração do Lucro Real) e entenda como ele é composto em sua escrituração

A legislação brasileira é cheia de burocracias, e é necessário ficar atento a todos os detalhes. Isso porque as empresas que não tiverem por perto profissionais altamente capacitados podem acabar pagando mais do que devem. Isso por qualquer simples descuido de não observar as particularidades da lei.

Para o gestor, muitas vezes as exigências dos contadores e do Fisco parecem um bicho de sete cabeças. Além das obrigações tradicionais e inúmeras obrigações acessórias, como as notas fiscais, as guias de recolhimento de tributos… Os contadores também precisam ficar atentos aos livros de escrituração.

Esse último item acaba gerando muitas dúvidas. Isso porque. dependendo do modelo de tributação escolhido e do tipo de empresa, as exigências podem ser completamente diferentes. É preciso ter muita atenção e contar com um bom suporte contábil!

Nessas horas, somente o auxílio de uma equipe contábil experiente pode ser capaz de dar plena tranquilidade para o empresário, de que todas as regras impostas pelo governo estão sendo respeitadas. Por isso, trazemos nesse post alguns esclarecimentos sobre o LALUR e como ele deve ser composto em sua escrituração. Confira:

O que é LALUR?

LALUR é a sigla para Livro de Apuração do Lucro Real. Este é um livro de natureza fiscal, isso significa que seu objetivo é recolher informações extrafiscais. Ou seja, o que interessa é saber exatamente o valor do tributo devido ao fisco. Esse livro é obrigatório somente para as empresas tributadas pelo Imposto de Renda na modalidade Lucro Real, conforme previsão contida no Regulamento do Imposto de Renda.

Como são compostos os dados do LALUR?

O livro é dividido em duas partes. A primeira é destinada a colocar os lançamentos de ajuste no lucro líquido, somando também as compensações, as adições e as exclusões. Por fim,  no fechamento tem a demonstração do lucro real.

Já na segunda parte, por outro lado, o destino é aos controles de valores que não constam na escrituração comercial, mas que podem influenciar os lucros futuros. É como se o contador fizesse notas de esclarecimento ao documento. Esse procedimento deve ser feito quando não há a possibilidade de se fazer uma apuração contábil, mas se sabe que ela existe e que pode impactar no lucro.

Aspectos gerais da escrituração

Alguns outros detalhes e informações extras devem ser levados em consideração, e exigem atenção do contador. O primeiro deles é o espaço temporal de apuração das informações. O LALUR pode ser ajustado trimestralmente ou anualmente. Isso depende do regime de tributação no qual a empresa se encaixa, uma vez que existem essas duas alternativas para quem apura o resultado para o Imposto de Renda pelo Lucro Real.

Outro detalhe importante é que, atualmente, o LALUR já conta com uma versão eletrônica. Isso é uma forma de dinamizar todo o sistema de apuração do imposto, e facilita muito as contas, tornando o sistema mais preciso e ágil. Porém, é preciso cuidado, pois muitas pessoas caem no erro de não autenticar o LALUR. Embora não seja preciso registrá-lo em nenhum órgão ou repartição, o documento deve obrigatoriamente conter os termos de abertura e encerramento datados. Além disso, devem também ser assinados devidamente por algum representante legal da empresa. Algumas empresas optam também por contar com a assinatura de um contabilista habilitado, assim como a maioria dos livros contábeis.


E aí, ainda possui alguma dúvida com relação ao LALUR? Possui alguma dica que possa ajudar outros contadores? Comente e participe para que possamos melhorar, cada vez mais, os conteúdos do Abertura Simples.

Postagens Recentes

Deixe uma resposta

Thumbnail do infográfico de contabilidade tradicional x onlinefoto de pessoas analisando documentos, representando os documentos para contador