Você sabe o que é ISS e para que serve esse imposto?

Esclareça todas suas dúvidas com relação ao ISS, o Imposto Sobre Serviços, como para que serve e também como é calculado

O sistema tributário é complexo, e o empresário que não o conhece bem pode ter surpresas desagradáveis. É uma enorme variedade de impostos, e um assunto que invariavelmente surge como pauta de dúvidas está relacionado sobre o chamado ISS.

Essas três letrinhas representam o principal imposto recolhido por empresas prestadoras de serviços. E nem mesmo o microempreendedor individual (MEI) escapa do pagamento!

É justamente sobre esse tema que iremos falar hoje. Confira abaixo o que é o ISS, quem deve pagá-lo, como é feito o cálculo e seu recolhimento. Esperamos que ao final da leitura você consiga esclarecer todas suas dúvidas com relação a esse imposto! Continue lendo:

O que é ISS?

O ISS é o Imposto Sobre Serviços e veio substituir o antigo ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza). Trata-se de um tributo de competência dos municípios e Distrito Federal, e sua incidência se dá nos casos em que ocorre uma prestação de serviço, com regras gerais subordinadas a Lei Complementar 116/2003 e a Lei 11.438/1997.

Por ser um tributo de ordem municipal, as regras e alíquotas variam de um município para o outro, por isso, além das leis mencionadas, é importante conhecer a legislação específica do município sobre o tema. Por se tratar de um imposto municipal, todos os valores recolhidos a título de ISS são destinados aos cofres públicos municipais.

Quem deve pagar?

Todas as empresas que têm entre as suas atividades a prestação de serviços e os profissionais autônomos prestadores de serviços devem recolher o imposto. A regra é válida inclusive para aquelas nas quais essa seja uma atividade secundária. Inúmeros serviços estão sujeitos à tributação do Imposto Sobre Serviço. Elencamos aqui alguns deles:

  • serviços veterinários;
  • de reparo, manutenção e limpeza;
  • de informática;
  • de atendimento psicológico;
  • de atendimento médico em geral;
  • de engenharia;
  • de atendimento jurídico;
  • de planos de saúde;
  • de organização de eventos, shows e espetáculos;
  • de beleza/estéticos em geral;
  • de aluguel de veículos e outros bens.

Se você está em dúvida sobre a obrigatoriedade do recolhimento desse imposto, vale consultar a lista de serviços anexa à Lei Complementar nº 116, de 31 de julho de 2003.

A incidência do ISS não inclui os serviços de comunicação e transporte interestadual e intermunicipal, já que estes estão sujeitos ao imposto ICMS.

MEI deve pagar ISS?

Uma dúvida comum em relação à obrigatoriedade de pagamento do ISS vem dos microempreendedores individuais (MEI). Se for prestador de serviços ou oferecer algum serviço entre as suas atividades, o MEI terá que pagar ISS como qualquer outra empresa.

Nesses casos, o pagamento do ISS já está inserido o DAS, o Documento de Arrecadação Simplificada. Logo, não há necessidade de pagar um valor específico de Imposto Sobre Serviço.

A taxa paga mensalmente varia de acordo com a atividade do MEI — empresas de prestação de serviços pagam um valor mensal de R$ 52,70, que corresponde ao recolhimento de diversas obrigações tributárias. Desse total, R$ 5,00 são reservados para o pagamento do ISS.

Vale destacar, ainda, que o pagamento deve ser feito mesmo que nenhum serviço tenha sido prestado no período. Além do mais, independe do número de vezes em que o serviço tenha ocorrido. Por fim, esses valores são corrigidos anualmente.

Como é feito o cálculo do Imposto Sobre Serviços

Chegar ao valor do quanto precisará pagar de ISS é simples. Primeiro, é necessário pesquisar na legislação municipal e identificar qual a alíquota para determinado serviço. Depois, esse percentual precisa ser aplicado à base de cálculo do tributo, que nada mais é do que o valor cobrado pelo trabalho.

Tome como exemplo uma empresa que prestou um serviço no valor de R$ 5.000, sobre o qual incide uma alíquota de 4%. O imposto a ser pago, nesse caso, é de R$ 200.

Valor do serviço x alíquota do ISS = ISS a ser recolhido. R$ 5.000 x 4% = R$ 200.

Como é feito o recolhimento de ISS

O imposto sobre serviços é recolhido de diferentes formas, a depender do tipo de atuação. No caso de um profissional autônomo o ISS é devido no momento em que emite a nota fiscal do serviço prestado.

Para quem é MEI, prestadores de serviços com faturamento anual até R$ 60 mil, é possível recolher todos os impostos em uma parcela única do Simples Nacional, que já está incluso o ISS.

Além dos MEIs, outras empresas que optam pelo Simples Nacional, com faturamentos que vão dos R$ 60 mil aos R$ 4,8 milhões, recolhem o ISS através da Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS). O valor pago é destinado à Receita Federal e depois repassado aos municípios.

Para as outras empresas, o recolhimento é feito a partir de uma guia própria, definida a partir da legislação de cada município.

Retenção de ISS

Existem casos em que o próprio cliente do serviço realiza a retenção do ISS, no momento de pagar pelo serviço. Nesse caso, é feito um pagamento do serviço já descontando o imposto, e o prestador deve declarar que a retenção. Sendo o caso do Simples Nacional, o prestador deve declarar em sua guia a retenção, e será descontado ao final.

As regras de retenção na fonte em ISS também são definidas pela legislação de cada município. Por isso, deve ser consultado detalhadamente com a Secretaria da Fazenda municipal.


E aí, ficou com alguma dúvida com relação ao ISS e o recolhimento desse imposto? Já teve alguma dificuldade com essa obrigação? Comente e participe para que possamos melhorar, cada vez mais, os conteúdos do Abertura Simples.

Escrito por

Gostou? Compartilhe!

Guia de Vendas na Contabilidade

Faça como mais de 30 mil contadores. Baixe agora mesmo o Guia de Vendas na Contabilidade e começe a tracionar seu escritório hoje mesmo.

No comment yet, add your voice below!


Deixe uma resposta