Skip to content

Como promover uma gestão contábil criativa? Estudo revela

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Como promover uma gestão contábil criativa é a dúvida de muitos profissionais. Justamente por isso uma pesquisa contábil decidiu revelar o mistério.

Contabilidade e criatividade? Por mais improvável que isso possa parecer, dada a precisão do trabalho, uma pesquisa contábil demonstrou um interesse crescente pela criatividade, particularmente em como os gerentes podem usar incentivos para promovê-la. 

As pesquisas da The American Review da American Accounting Association abordaram a questão de uma maneira inovadora e fizeram descobertas que vão contra o pensamento convencional sobre criatividade.

“Os psicólogos frequentemente defendem o argumento de que a criatividade não pode ser forçada por incentivos e, de fato, pode ser prejudicada por incentivos que impedem qualquer motivação de ser criativo”, escrevem os co-autores do estudo, professores de contabilidade Steven J. Kachelmeier, da Universidade do Texas em Austin, e Laura W. Wang e Michael G. Williamson, da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign. 

Os professores admitem que é improvável que a promessa de recompensas possa avançar diretamente a criatividade. No entanto, eles supõem que isso possa ser feito  indiretamente  “iniciando o processo criativo, com ganhos a serem promovidos mais tarde”.

“Constatamos que um esquema simples de compensação para a quantidade de ideias enviadas gera mais ideias de alta criatividade. Contudo, isso ocorre somente no segundo estágio, ou seja, após o período de incubação “.

O que eles querem dizer é que os incentivos baseados em quantidade “têm um efeito indireto, estimulando o processo criativo que se beneficia da incubação”.

Como promover uma gestão contábil criativa? Estudo revela: pagamento por ideias

E esse efeito, consideram os professores, é impressionante. Em um experimento, realizado em duas partes, eles descobriram, no primeiro estágio, que:

  1. O pagamento de indivíduos pelo número de ideias produzidas resultou em duas vezes mais ideias do que as produzidas por indivíduos que simplesmente recebiam um valor fixo; 
  2. Porém, o número de ideias julgadas altamente criativas foi praticamente o mesmo nos dois grupos. No entanto, após um curto período de incubação – ou seja, uma pausa no pensamento sobre a tarefa em mãos – o grupo que foi pago com base na quantidade de ideias produziu uma média de 2,9 ideias altamente criativas na segunda etapa do experimento, como comparado a 2,06 pelo outro grupo.  

Em outras palavras, a combinação de incubação com remuneração baseada em quantidade gerou um aumento de 40% na alta criatividade em relação ao pareamento com remuneração fixa.

“A ideia de que um período de incubação contribui para a criatividade não é nova, mas seu valor prático para os gerentes que buscam incentivos à criatividade não é claro. Uma questão-chave é: quais incentivos devem ser implementados inicialmente para obter o máximo benefício da incubação”, explica.

E continua “em nosso estudo, estruturamos a remuneração de várias maneiras diferentes e descobrimos que, baseando-se na quantidade, pavimentamos o caminho para os melhores resultados pós-incubação. Em essência, a combinação de quantidade de incentivos com a incubação produz uma sinergia, com a combinação tendo um efeito maior do que a simples adição dos dois sugere”, explica Kachelmeier.

Os professores atribuem isso ao fato de que a ênfase na quantidade estimula o pensamento divergente – isto é, o pensamento que se afasta da norma, “mas não é necessariamente eficaz ou criativo”.  

É particularmente provável que os incentivos baseados em quantidade levem a pensamentos divergentes, porque o “desejo de gerar o maior número possível de ideias motiva [indivíduos] a buscar novos padrões”, o que aumenta as perspectivas de criatividade.

 Ou, como o estudo afirma, “o pensamento divergente no primeiro estágio medeia a vantagem criativa do incentivo da quantidade no segundo estágio … consistente com o raciocínio de que pensar de maneira diferente é um pré-requisito para o pensamento criativo”.

Chegou até aqui e achou interessante saber como promover uma gestão contábil criativa? Leia também como promover uma boa liderança na contabilidade.

Fonte: American Accounting Association

Escrito por

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Guia de Vendas na Contabilidade

Faça como mais de 30 mil contadores. Baixe agora mesmo o Guia de Vendas na Contabilidade e começe a tracionar seu escritório hoje mesmo.

No comment yet, add your voice below!


Faça um Comentário