Diferença entre plano de negócios e Modelo de Negócios

 em Planejamento e Finanças

Saiba  quais as diferenças entre ambos e também como criar o seu próprio modelo de negócios para sua empresa!

Quem nunca teve um nó na cabeça quando ouviu sobre plano de negócios e modelo de negócios? São tantos “negócios” que falando rápido até parece que esses termos significam a mesma coisa. Mas não, eles são bem diferentes mas complementares. A seguir, explicaremos as principais diferenças entre um e outro e também como você pode criar o seu próprio modelo de negócios. Confira:

O que é o plano de negócios?

Um plano de negócios é uma espécie de relatório que reúne o maior número de informações sobre o planejamento de uma empresa. Nele estão definidos temas como: a ideia da empresa, os principais produtos e serviços que serão oferecidos, a sua localização, os clientes, o valor a ser investido, as estratégias de marketing e vendas e a expectativa de faturamento no curto, médio e longo prazo.

O objetivo de detalhar os quatro pilares da empresa – comercial, financeiro, recursos humanos e marketing – em um único documento é analisar se a ideia é viável ou não em termos de mercado e financeiro. Verificar onde podem ser feitas melhorias ou em quais pontos o trabalho deve ser intensificado. Resumindo, no plano de negócios você vê as metas para a empresa.

O que é o modelo de negócios?

Já o modelo de negócios é uma ferramenta que mostra de maneira visual e bem simples como funcionaria a sua empresa na prática, alinhando as expectativas do cliente e do empreendedor. A proposta é avaliar ideias e estratégias mesmo que em fase inicial. Ele vai mostrar de forma bem clara o que você faz, para quem, como você faz e por quanto.

Como criar um modelo de negócios?

Uma das formas mais populares para criar o seu modelo de negócios é o Canvas. Desenvolvido pelo consultor suíço Alexander Osterwalder, o Canvas é um quadro no qual o empreendedor pensa em nove áreas específicas do seu negócio, que são:

  1. Segmento de Clientes
  2. Oferta de Valor
  3. Canais
  4. Relacionamento
  5. Fonte de Receita
  6. Recursos Chave
  7. Atividades Chave
  8. Parcerias Chave
  9. Estrutura de Custo

Preencher o quadro e desenhar a empresa ideal não é o suficiente para o sucesso de um modelo de negócios. Você deve usar o Canvas no dia-a-dia como referência para resolução de problemas e execução de tarefas.

Segmento de clientes

Em segmento de clientes você precisa definir quem é o público alvo da sua empresa. A partir dessa informação, você continua pesquisando para saber qual é o perfil dele, onde eles estão localizados, como se comportam e qual é a necessidade dele. O público alvo precisa estar bem definido pois todas as outras ações vão girar em torno dele.

Oferta de valor

A segunda área a ser analisada é a oferta de valor. Nesse ponto é preciso definir a solução que a sua empresa vai oferecer ao cliente e, principalmente, o que ela vai ter de diferente da concorrência. Tente responder a pergunta: porque esse cliente vai me escolher ou escolher o meu produto?

Canais

A terceira área que precisa ser definida são os canais, ou seja, como os seus clientes vão conhecer seu produto, vão comprá-lo, como esse produto chegará até o consumidor?

Relacionamento

E essa etapa tem tudo a ver com o seu relacionamento com o cliente, que é a quarta área a ser estudada. O relacionamento envolve desde o processo de conquista até a manutenção desse contato, ou seja, mais do que capturar um cliente você deve pensar em como fidelizá-lo.

Fonte de receita

A quinta área é a fonte de renda, que resumidamente representa como você vai ganhar dinheiro. Determine quanto e como o seu cliente vai pagar pelo que você oferece. O preço que o seu cliente estará disposto a desembolsar está ligado a experiência dele com a compra e a empresa.

Recursos Chave

Os recursos-chave são a sexta área dentro do Canvas. Neste ponto você precisa definir o que será necessário para seu negócio sair do papel e atender ao cliente. Por exemplo, equipamentos, colaboradores, local para estoque, entre outros.

Atividades Chave e Parcerias Chave

Já na área de atividades-chave, o empreendedor deve relacionar tudo o que será preciso fazer para alcançar a proposta de valor estabelecida anteriormente. E na parcerias-chave escrever quem vai te ajudar a entregar esse valor. Quem serão os fornecedores, as empresas terceirizadas e as empresas parceiras.

Estrutura de Custo

E por fim desenvolver a estrutura de custos. Quanto será preciso para a execução e manutenção da sua empresa? Coloque no papel o valor de cada etapa. Inclusive essa informação vai te ajudar a determinar o valor de seu produto ou serviço.

Essas são as nove etapas para a construção de um modelo de negócios. Uma dica é analisar modelos de negócios de outras empresas. Não para copiar, mas para deixar mais claro quais pontos são mais importantes e quais podem ser deixados de lado. O grande problema de copiar um modelo de negócios é que a sua empresa tem características específicas que outras não tem, e o que funcionou para elas nem sempre funcionará para você.


E aí, você já sabe quais as diferenças entre esses dois modelos? Já pensou em criar um modelo de negócios? Comente e participe para que possamos melhorar, cada vez mais, os conteúdos do Abertura Simples.

Postagens Recentes

Deixe uma resposta

Imagem de um computador com alerta de fraude para remeter ao empreendedor que deseja proteger o seu e-commerce de fraudes